O que é transporte de carga seca?

Compartilhar:

A carga seca diz respeito à mercadoria não perecível, passível de ser transportada independentemente das condições climáticas. No geral, poucos danos perigosos, ocasionados por fatores externos, podem ser infligidos aos produtos durante o escoamento adequado.

Ao contrário da carga viva, cujo transporte é altamente delicado, e da carga frigorífica, que trata de perecíveis e exige cuidados extras, por exemplo, a carga seca é relativamente fácil de ser levada de um ponto a outro.

No Brasil, onde o transporte de carga via rodovias é muito intenso — despontando, inclusive, como o maior modal de escoamento do país —, basta voltar o olhar às estradas para enxergar algum tipo de carga seca em deslocamento. Os produtos mais comuns deste tipo de mercadoria são:

  • madeiras;
  • ferragens;
  • materiais de construção (exceto cimento e similares);
  • encanamentos;
  • móveis;
  • eletrodomésticos;
  • peças automotivas;
  • ferramentas.

É válido lembrar, ainda, que alguns alimentos não perecíveis — tais como feijão, óleo e açúcar — também são considerados carga seca e, no transporte, não demandam cuidados especiais (refrigeração permanente, por exemplo).

Quais são os cuidados necessários ao transportar carga seca?

Muito embora a carga seca exija, em comparação aos demais tipos de mercadoria, menos cuidados relativos, é preciso estar certo de que algumas obrigações e cuidados continuam inerentes ao escoamento dos produtos secos.

De forma a garantir a segurança do transporte — da coleta à entrega — e a eficácia do serviço, mantendo a lucratividade da operação, o gestor deve se preocupar com fluxos transparentes de trabalhos. Confira algumas das melhores práticas logísticas para cargas secas!

Realize o empilhamento correto

Para cargas secas, o empilhamento é plenamente viável e facilita bastante o processo de manejo. É importante, porém, que os responsáveis logísticos realizem a manobra de forma correta, respeitando as características da carga.

Se a mercadoria for composta por madeira — considerando que se trata de um matéria-prima bruta —, por exemplo, é possível dispensar delicadeza excessiva. Caso a carga seja de eletrodomésticos, por sua vez, é necessário planejar o carregamento de acordo com o peso e a proporção do produto, evitando transtornos e prejuízos.

Proteja a carga para evitar exposição a sol ou chuva

Na grande maioria dos casos, a proteção contra sol e chuva é indispensável. Ainda que alguns itens não sofram avarias quando expostos a esses fatores climáticos, é conveniente avaliar a pertinência de cobertura extra, de modo a assegurar a integridade da mercadoria.

Para cargas mais delicadas — tais como móveis e ferramentas — a cobertura dos produtos é fundamental para que o escoamento preserve a qualidade dos itens e satisfaça todos os envolvidos na transação.

Evite sobrecarregar o veículo de transporte

planejamento logístico afeta todo o fluxo operacional. Quando executado de forma integrada e sistemática, proporciona benefícios ao longo de toda a cadeia — da separação de itens ao transporte enxuto.

Um dos cuidados no momento de acomodar a carga no caminhão é, portanto, o cálculo do peso suportado. Ao conhecer os limites do veículo, é possível estabelecer a quantidade máxima de itens, de acordo com seus atributos.

Lembre-se de que sobrecarga é prejudicial à empresa logística, que deteriora seus veículos ao submetê-los a pesos além do recomendado. Também ao cliente para o qual a mercadoria é destinada, uma vez que há o risco de avariar os produtos escoados.

Priorize a segurança para evitar roubos e furtos

O seguro é uma ótima alternativa para atenuar contratempos e perdas com crimes de carga. Infelizmente, roubos e furtos em rodovias são bem comuns no Brasil: segundo dados da FIRJAN, o prejuízo acumulado com os delitos está estimado em R$1,5 bilhão.

Com o objetivo de antever transtornos e evitar altos custos, vale incorporar soluções de seguros. Essa preocupação dá mais tranquilidade à empresa e ao cliente, validando a qualidade do serviço de ponta a ponta.

Quais são os veículos indicados para esse tipo de transporte?

Por fim, também cabe ao gestor logístico definir quais são os veículos adequados ao transporte de sua mercadoria. A decisão, embora relativamente simples, precisa ser tomada com base em domínio profundo das questões logísticas — tais como destino, rota, volume da carga e características específicas da mercadoria.

Para assegurar a efetividade do serviço, vale explorar as possibilidades de automóveis e escolher o mais adequado à demanda da empresa. Algumas das opções mais recorrentes são:

  • caminhão toco, que se caracteriza por ser um veículo curto, com dois eixos e capacidade média de 8 toneladas;
  • caminhão truck, que é um modelo mais longo e possui três eixos, aguentando com tranquilidade até 12 toneladas;
  • carreta (cavalo mecânico + semirreboque), cuja capacidade, em volume de carga seca, é a maior entre os veículos citados, suportando até 25 toneladas.

Diante disso, fica evidente que o transporte de carga seca, mesmo que relativamente menos complexo, também demanda atenção e planejamento eficiente. É preciso garantir a integridade da carga e a rentabilidade do escoamento, alavancando os resultados logísticos.

O conteúdo ajudou você a repensar suas operações logísticas? Ótimo! Agora, é preciso reavaliar o fluxo interno de forma a alavancar os resultados do transporte. Aproveite, ainda, para se aprofundar no assunto e saiba mais sobre a capacidade de carga em cada tipo de veículo. Sucesso e até a próxima!

Compartilhar:

Artigos relacionados

Precisa de transporte seguro?

Entre em contato. Um de nossos consultores entrará em contato.